luz LED

Luz LED faz mal aos olhos?

Luz LED e olhos parecem ser antagônicos. De acordo com diversos estudos divulgados pela Universidade de Madri. Pois, ao que parece, a primeira pode ser bastante prejudicial para a segunda.

Para saber a verdade, continue acompanhando esse artigo. Além disso, entenda como essa luminosidade pode afetar a visão. Por fim, veja se algo pode ser feito para evitar maiores problemas.

Bom para o meio ambiente, mas um perigo para os olhos

As lâmpadas LED azuis, têm menos gastos energéticos e duram mais. Porém, os pesquisadores alertam para os riscos da saúde ocular. Principalmente, diante da exposição excessiva a elas.

Estudos revelaram o efeito nocivo para a visão a longo prazo. Porque, as chances de o indivíduo ter degeneração macular aumentam.

O problema maior está ligado ao fato de as pessoas utilizarem com frequência certos eletroeletrônicos. Por exemplo, smartphones, notebooks e tablets.

Luz LED: retina tem relógio biológico próprio

Nas pesquisas realizadas, vários elementos foram considerados. A fim de analisar com precisão os efeitos dessas luzes.

Uma dessas variáveis foi como a luminosidade afetava o relógio biológico da retina. Pois, cada órgão tem um ritmo.

O organismo sabe o momento de se alimentar e dormir. Logo, ele se prepara para isso. Desse modo, essa região ocular também tem o seu próprio cronograma.

É regra que somos mais resistentes à luz durante o dia do que a noite. Inclusive, é no período noturno que a luz artificial azul é mais utilizada.

Os olhos são mais forçados quando estão mais sensíveis a essa luminosidade. Portanto, devido a isso, os pesquisadores pedem mais cautela ao seu uso.

Luz LED aumenta as chances de degeneração macular

O mais provável é que problemas de visão relacionados à idade cresçam. Por exemplo, a degeneração macular.

Já que os olhos estão sendo submetidos a essa forte luminosidade no período mais sensível. Isto é, à noite. Logo, é importante evitar que no futuro haja casos dessa doença logo aos 50 anos.

Luz de celular é mais nociva

Uma das preocupações dos pesquisadores são as crianças. Pois, elas são expostas a telas de tablets e smartphones desde muito cedo. Por isso, elas devem ser protegidas ao máximo. A fim de evitar problemas futuros.

Com o tempo, o cristalino vai se tornando mais amarelado, absorvendo mais luz azul. Dessa forma, é um processo natural.

Essa região é responsável por focalizar a luminosidade que entra nos olhos. A partir disso, define a imagem formada pela retina.

Por causa disso, pessoas mais velhas estão mais resguardadas da luz LED. Contudo, os mais jovens nem tanto.

O que fazer então?

Os estudiosos recomendam algumas medidas. Por exemplo, escolher lâmpadas quentes ou frias. Bem como, evitar decorações com luminosidade azulada. Acima de tudo, reduzir o tempo passado em frente às telas dos eletroeletrônicos.

Já que isso altera o batimento cardíaco e afeta as retinas. Dessa maneira, os smartphones são considerados mais prejudiciais do que os tablets, computadores e TVs.

Quanto menor a distância e o tamanho da tela, maior a incidência de luz. Segundo os pesquisadores.

Atenção ao uso excessivo dos eletroeletrônicos

Infelizmente, o filtro usado em alguns óculos para absorver a luz LED é pouco eficaz. Então, a melhor maneira de se resguardar, é diminuindo a frequência de uso dos celulares. Principalmente, em relação às crianças, que são mais sensíveis.

Cuide da sua saúde ocular e a do seu filho também. A fim de que problemas na retina sejam evitados no futuro.


Comentários