Glaucoma deixa cego? Descubra tudo sobre isso

O glaucoma se caracteriza em ser uma doença silenciosa. No Brasil é o responsável por mais de 12% de casos de cegueira em adultos. Neste artigo vamos abordar sobre as formas de prevenção, sobre os sintomas e hereditariedade.

Portanto, vamos falar também sobre o porquê o glaucoma deixa cego. Mas somente aqueles que não tomam os devidos cuidados, seja durante o tratamento como na prevenção da doença.

O glaucoma deixa cego?

A resposta para essa pergunta é sim! O glaucoma deixa cego principalmente aquelas pessoas que fazem parte do grupo predisposto a doença. Entre elas estão os diabéticos, os adultos maiores de 35 anos, a hereditariedade como também os traumas oculares imperceptíveis.

Mas o que é o glaucoma? Inicialmente o glaucoma é uma doença do olho, causada principalmente pela elevação da pressão intraocular. Causando assim, lesões no nervo óptico e o comprometimento visual.

Sendo que, em casos extremos e se não houver o correto tratamento pode elevar a cegueira. O glaucoma é um dos fatores principais da causa de cegueira em todo o planeta. Sendo irreversível se não tratado no início.

De acordo com a OMS, cerca de 60 milhões de pessoas no mundo sofrem com o glaucoma. E a doença atinge cerca de 2% da população brasileira adulta, sendo em grande parte os maiores de 40 anos.

Quais os tipos de glaucoma?

Em resumo, o não tratamento do glaucoma deixa cego o paciente que na maioria das vezes nem percebe a doença. Ao todo são quatro os tipos de glaucoma.

Glaucoma de ângulo fechado ou agudo

Tendo como principal característica do aumento brusco da pressão intraocular. Podendo ocasionar dor e reverter para um caso grave, geralmente os casos de glaucoma agudo são na maioria emergenciais.

Então, os sintomas poderão aparecer de forma intermitente e piorarem de acordo com o tempo. Dores no olho, visão embaçada ou diminuída, náusea e vômito, olhos vermelhos e inchados também podem ocorrer.

Glaucoma congênito

Sendo esse o caso mais raro de glaucoma, quando descoberto deve ser tratado imediatamente. A forma congênita desse glaucoma deixa cego o recém-nascido se não tratado corretamente e é transmitido durante a gravidez.

Assim, os sintomas aparecerem geralmente nos primeiros meses de vida da criança, onde pode ser notado a sensibilidade a luz. Além de excesso de lacrimação, aumento dos olhos e nebulosidade na parte da frente do olho.

Glaucoma de ângulo aberto ou crônico

Apesar de ser o tipo mais comum da doença, o glaucoma crônico pode ser hereditário. Contudo sua causa ainda é desconhecida e esse tipo de glaucoma se apresenta de forma lenta.

Desse modo, elevando os níveis de pressão oculares, causando danos no nervo ótico e gerando perda do campo visual. Seus sintomas aparecem somente quando já houve perda da visão, podendo ser notado com o aparecimento da visão tubular.

Glaucoma secundário e os principais fatores de risco

Finalizando, o glaucoma secundário geralmente ocorre quando o paciente faz uso de medicações com corticosteroides. Seja para tratamento de doenças oculares ou sistêmicas. Sendo assim um dos fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

Dessa forma, os pacientes poderão procurar um oftalmologista caso faça parte de algum desses grupos. Os principais fatores de risco são:

  • Pressão intraocular alta;
  • Em caso de glaucoma agudo, pacientes com idades acima de 40 anos;
  • Pessoas afro americanas acima dos 40 anos de idade;
  • Histórico da doença em família;
  • Doenças do olho em geral, como inflamações, deslocamentos de retina e tumores;
  • Pacientes diabéticos; com problemas cardíacos; hipertensos ou com hipertireoidismo.

Entre os listados acima, os diabéticos correm maior risco em desenvolver a doença, aumentando o seu risco em 35%. Em resumo procure um oftalmologista e previna-se, pois, o glaucoma deixa cego aqueles que não se cuidam.


Comentários