Fumaça do cigarro afeta córnea?

Será que a fumaça do cigarro afeta a córnea? Bem, não é nenhum segredo o quão danoso esse produto é para o ser humano. Não é à toa que cada vez mais há uma conscientização sobre seu uso. Todo o histórico desse elemento gera dúvidas com relação ao nível de prejuízos causados.

É por isso que para entender melhor, é preciso uma pesquisa sobre o assunto. Saber com detalhes o que é afetado e como isso acontece. No entanto, nem sempre isso é uma tarefa simples. São muitas questões a serem consideradas aqui. Portanto, esse artigo vai se ater a parte da visão.

Aqui, você vai compreender tudo sobre essa relação. Veja como esse produto é incrivelmente poderoso. Infelizmente, isso não é algo bom. Confira se a fumaça do cigarro afeta a córnea. Ao final da leitura, você será capaz de tirar suas próprias conclusões. Então, vamos lá, acompanhe.

A fumaça do cigarro afeta a córnea?

Logo de cara podemos dizer que sim. Essa inclusive, é uma das áreas que mais sofrem danos. Contextualizando, a córnea é uma membrana transparente que fica no olho. Ainda, ela é essencial para a formação da visão do indivíduo.

Então, é claro que essa última também arca com as consequências. Além disso, fumantes que usam lentes têm mais probabilidade de desenvolver úlceras oculares. Isso acontece porque existem uma série de substâncias ruins na fumaça desse produto.

Também, pessoas que fumam têm sua capacidade de cura alterada. Quando comparada com quem não possui essa prática, a diferença é enorme. No primeiro caso, é comum que certas lesões demoram 24 horas a mais para sumirem.

Portanto, a fumaça do cigarro afeta a córnea sem dúvidas. Porém, isso não é tudo. Indivíduos fumantes sofrem mais riscos em transplantes dessa membrana. Muitas vezes, é necessário repetir o processo. Em casos mais graves, é normal a pessoa ficar cega.

Doenças oculares causadas ou agravadas pelo tabagismo

Infelizmente, quando se aborda essa relação entre cigarro e doenças, muitas variáveis estão envolvidas. O número de patologias causadas ou que se agravam por causa desse produto, é enorme. Conheça a seguir as principais.

Degeneração Macular Relacionada à Idade – DMRI

Essa é a maior responsável pela cegueira em idosos. Ela ataca a parte posterior do olho, a retina. Aqui, a prática do tabagismo, resulta no aumento do nível de oxidação da área. Tem-se então a degeneração da mácula acelerada.

A fumaça do cigarro afeta a córnea, mas isso não é tudo. Só para se ter uma ideia, veja esse dado. A chance de um fumante desenvolver DMRI é 3 vezes maior. Isso quanto comparado a uma pessoa que não usa essa substância. Surpreendente, não é mesmo?

Síndrome do olho seco

Aqui, esse elemento funciona como uma espécie de agravante da doença. Ele diminui ainda mais a lubrificação dos olhos. Isso acaba deixando essa região ainda mais ressecada.

Além disso, alguns componentes podem até alterar a composição da lágrima. No caso, a afetada é a enzima lisozima, que tem sua concentração reduzida. Isso piora ainda mais o quadro do indivíduo com essa patologia.

Por fim, agora você sabe tudo sobre esse assunto. Então, de fato, a fumaça do cigarro afeta a córnea. No entanto, muitas outras partes também sofrem sérias consequências. Portanto, a melhor opção é sempre não fumar. A saúde do seu olho é o mais importante.


Comentários