Guia completo para entender sua receita de óculos

Após uma visita ao oftalmologista saímos nas mãos com as receita para a os novos óculos. Independente do que está escrito levamos a uma ótica e solicitamos o orçamento e a execução do serviço.

Mas você sabe o que estava escrito na receita médica? Entendeu alguma coisa que foi indicada para os seus olhos? Neste artigo vamos destrinchar o significado para a receita dos óculos.

Assim, o paciente terá um guia completo para entender sua receita de óculos, acabando de vez com as dúvidas. Principalmente sobre os significados escritos pelo oftalmologista.

Siglas da receita

A princípio as receitas vem escritas ou melhor, descritas, em formas de siglas e numerais. Vamos agora decifrar cada um deles, veja abaixo as principais abreviações nas receitas de óculos:

  • VI – visão intermediária;
  • VP – visão de perto;
  • VL – visão de longe;
  • AV – acuidade visual;
  • AD – adição;
  • DP – distância pupilar;
  • DNP – distância naso-pupilar;
  • CIL – cilíndrico;
  • ESF – esférico;
  • OE – olho esquerdo;
  • OD – olho direito;
  • PL ou Plano – indica que o paciente não tem grau na indicação da receita.

Além das abreviações, ainda existem alguns sinais que indicam os problemas da visão. Podendo ser em um ou nos dois olhos, os sinais podem divergir como veremos mais adiante:

  • Para astigmatismo, a coluna CIL e EIXO, deverão ser preenchidas;
  • Já para a hipermetropia, o sinal que devera aparecer é o positivo (+);
  • Para a miopia, o sinal deverá ser o negativo (-).

Ainda, no guia completo para entender sua receita de óculos existe a opção de aparecer na receita outros termos. Podendo ser termos como o VI ou visão intermediária, VP ou visão de perto e AD adição.

Essas siglas indicam que as lentes serão multifocais, existindo uma outra interpretação para esse tipo de receita. Lembrando que as receitas para óculos não servem para a confecção de lentes de contato.

Assim, as lentes necessitam de outras medições e a receita é diferente. Caso o paciente também opte pela confecção das lentes, o médico deverá indicar em duas receitas.

Graus dos óculos

Para o grau dos óculos podem existir duas definições, nas quais são os graus esférico ou cilíndrico. Vamos agora abordar a definição para cada um, veja abaixo:

O grau esférico tanto com sinal positivo quanto negativo aparece na receita na coluna ESF. Então, nessa coluna estarão as informações da quantidade de grau de hipermetropia ou miopia do paciente.

Logo, continue aprendendo com o guia completo para entender sua receita de óculos. Assim, podendo diferir em cada olho, as indicações para VL ou VP (visão de longe ou visão de perto, respectivamente).

Cada sinal posicionado antes da numeração indica a doença e o grau de correção. No caso da hipermetropia o sinal que aparecera deve ser o positivo, para a miopia o sinal será o negativo. Configurando da seguinte forma:

  • Esférico: + 2,50 por exemplo para hipermetropia;
  • Esférico: – 9,00 por exemplo para a miopia.

Grau cilíndrico

Já para o grau cilíndrico, indica o astigmatismo, e a coluna do eixo do astigmatismo ou CIL deverá ser preenchida. Para os pacientes que apresentam o astigmatismo o olho apresenta uma formação irregular e alguns pontos focais são formados.

Quando os olhos estão normais o foco segue sendo apenas em um ponto. Então, o eixo do grau para astigmatismo pode variar entre 0 e 180 graus. Podendo afetar diretamente a espessura das lentes do seu óculos.

Continuando com o guia completo para entender sua receita de óculos, veja como ficariam as lentes. De acordo com o grau de cada eixo para astigmatismo veja a seguir:

  • Eixo de 0 a 25º – as lentes ficarão mais grossas na parte superior e inferior dos óculos;
  • de 70º a 110º – as lentes serão mais grossas na parte lateral dos óculos;
  • Eixo de 90º ou quase 90º – as lentes também serão mais grossas nas laterais dos óculos;
  • Por fim, eixo de 165º a 180ª – as lentes serão mais grossas nas partes superior e inferior dos óculos.

Lentes multifocais

Quando na receita aparece a sigla AD ou adição, indica que o paciente precisa de lentes multifocais. Sendo que as lentes apresentaram campos para visão para perto como para longe.

Assim as lentes multifocais também atendem os pacientes com miopia e hipermetropia, além da presbiopia. Falando em presbiopia, essa doença indica a tão famosa vista cansada.

Dessa forma, de acordo com o guia completo para entender sua receita de óculos a receita ficaria a mesma. Logo, para as lentes multifocais apresentariam as mesmas informações que as lentes comuns. E são indicadas para correções para perto, longe e médio campo de visão.

Na receita a coluna de Perto ou AD (adição) aparece o grau tanto de miopia quanto de hipermetropia já adicionado. Pode parecer complicado mas os sinais se somam ao calculo e o resultado é o grau da lente.

Distâncias pupilar e naso-pupilar

Na sua receita também aparece umas das siglas de distância, sendo a DNP (para naso-pupilar) ou a DP (para pupilar). Essa distância indica a medida em milímetros da pupila em relação ao nariz.

Assim, essa medida influencia diretamente na espessura dos óculos e das lentes. Variando de paciente para paciente e sendo ajustado de acordo com cada medida. Continuando com o guia completo para entender sua receita de óculos.

Dessa forma quanto menor a distância naso-pupilar, maior o tamanho do aro do seu óculos. E mais aparentes ficarão as bordas das lentes na armação. Sendo uma medida de DNP curta, com uma armação grande poderá deixar os óculos grossos.

Validando o óculos

Geralmente o paciente leva 7 dias para se adaptar aos novos óculos e graus. Essa fase de adaptação irá validar se as lentes esta no grau certo ou não. Contudo, somente levando os óculos ao oftalmologista é que a validação ocorrerá realmente.

Assim, o médico poderá conferir as medidas e os graus de cada lente e liberar o uso pelo paciente. Vale lembrar que a receita para os óculos costumam ter validade de 6 meses a um ano.

Então, o paciente deverá retornar ao médico após um ano de uso. Para a verificação da necessidade da troca do grau ou não, evitando problemas mais graves ou o aumento do grau. Seguindo com o guia completo para entender sua receita de óculos.

Logo, dificultando a melhora da doença e levando a um uso contínuo mais prolongado. Em alguns casos o uso de óculos para correção pode ter um prazo curto, mas isso varia para cada paciente.

Quando o acompanhamento do oftalmologista não acontece, a classificação e aumento do grau pode ocorrer. Assim quando acontece a definição pode ficar em:

  • 0 a 3 graus – considerado baixo grau;
  • 3 a 6 graus – considerado um grau moderado;
  • Maior que 6 graus – considerado alto grau.

Concluindo, indiferente do grau e do problema que o paciente tenha, sempre tenha em mente a visita anual ao médico oftalmologista. Somente dessa forma poderá manter a boa saúde dos olhos.


Comentários